Disciplina Curricular

Inventário Florestal IFlore

Licenciatura Bolonha em Engenharia Florestal e dos Recursos Naturais - LEFRN 2010-2011

Contextos

Grupo: LEFRN 2010-2011 > 1º Ciclo > Tronco Comum

Período:

Peso

6.0 (para cálculo da média)

Objectivos

Na unidade curricular "Inventário Florestal" abordam-se os diversos temas que permitem aos alunos adquirir os conhecimentos necessários para executar todas as atividades inerentes à implementação de um inventário florestal clássico, com ênfase especial para os inventários para apoio à gestão florestal. Numa primeira fase são descritas as variáveis da árvore, bem como as metodologias utilizadas para as avaliar, de forma direta ou indireta, ou para as estimar. Focam-se de seguida as variáveis do povoamento e os métodos para as avaliar: parcelas de área fixa, parcelas com um número de árvores fixo, parcelas concêntricas e método de Bitterlich (parcelas de raio variável). São ainda analisados os métodos utilizados para a avaliação das variáveis do povoamento não relacionadas com as árvores, nomeadamente o sub-bosque, a madeira morta, a manta morta e o solo. Finalmente, são analisadas todas as etapas de um inventário florestal, desde o planeamento do inventário, o delineamento da amostragem, a recolha de dados no campo, o tratamento dos dados e a disseminação dos resultados.

Programa

1 Introdução ao inventário florestal
1.1 A necessidade de caraterizar os povoamentos florestais
1.2 Inventariação e monitorização de recursos florestais
1.3 Variáveis da árvore, variáveis do povoamento e outras variáveis do ecossistema florestal
1.4 A necessidade de amostrar
1.5 Erros de medição e observação e erro de amostragem
1.6 Inventários florestais a várias escalas espaciais e para vários objetivos
1.7 História do Inventário Florestal Nacional Português
2 Variáveis da árvore
2.1 Idade
2.2 Diâmetros, perímetro e área seccional
2.3 Casca
2.4 Altura
2.5 Variáveis da copa
2.6 Forma
2.7 Volume
2.7.1 Volume total e por categorias de aproveitamento
2.7.2 Volume com e sem casca
2.7.3 Métodos de cubagem direta
2.7.4 Métodos de cubagem indireta – Cubagem rigorosa por toros
2.7.5 Métodos de estimação de volumes
2.7.5.1 Equações de volume total e de volume percentual
2.7.5.2 Equações de perfil do tronco
2.8 Biomassa
2.8.1 Avaliação indireta da biomassa
2.8.2 Estimação da biomassa (total e por componentes)
3 Variáveis do povoamento
3.1 Métodos para avaliar variáveis por ha
3.1.1 Parcelas de raio fixo
3.1.2 Parcelas com um número de árvores fixo
3.1.3 Parcelas concêntricas
3.1.4 Método de Bitterlich
3.2 Número de árvores por ha
3.3 Diâmetros, área basal e diâmetro quadrático médio
3.4 Alturas dos povoamentos
3.5 Relações hipsométricas locais e gerais
3.6 Lotação e densidade do povoamento
3.7 Avaliação da qualidade da estação
3.8 Volume por unidade de área
3.8.1 Volume total e por categorias de aproveitamento
3.8.2 Cálculo do volume com dados agregados
3.8.3 Cálculo do volume com equações de cubagem
3.8.4 Métodos das árvores modelo
4 Outras variáveis do ecossistema florestal
4.1 O sub-bosque. Diversidade e biomassa
4.2 A estrutura vertical
4.3 A manta morta
4.4 Caraterização do solo
4.5 A medeira morta
5 Amostragem e processamento de dados de inventário
5.1 Inventário de um povoamento - amostragem simples
5.1.1 Processamento dos dados para as várias parcelas
5.1.1.1 Cálculo de variáveis do povoamento
5.1.1.2 Cálculo da distribuição de diâmetros
5.1.2 Intervalo de confiança e erro de amostragem
5.1.3 Cálculo da dimensão da amostra para um erro percentual pretendido
5.2 Inventário de uma área de gestão - amostragem estratificada
5.2.1 Processamento dos dados para as várias parcelas
5.2.2 Cálculo de variáveis do povoamento para o total da área de gestão
5.2.3 Intervalo de confiança e erro de amostragem
5.2.4 Cálculo da dimensão da amostra para um erro percentual pretendido
5.3 Inventário de variáveis não relacionadas com a área - amostragem por grupos
5.3.1 Exemplo com o inventário da qualidade da cortiça
5.3.2 Intervalo de confiança e erro de amostragem
5.3.3 Cálculo da dimensão da amostra para um erro percentual pretendido
5.4 Avaliação de áreas de estratos - amostragem qualitativa
5.4.1 Exemplo com o Inventário Florestal Nacional
5.4.2 Intervalo de confiança e erro de amostragem
5.4.3 Cálculo da dimensão da amostra para um erro percentual pretendido
5.4.4 Cálculo da dimensão da grelha para um erro percentual pretendido
6 Planeamento de um inventário florestal
6.1 Definição dos objetivos e das necessidades de informação
6.2 Discussão da exatidão, custos e tempo de realização pretendidos
6.3 Delineamento da amostragem
6.4 Decisão sobre o tipo e dimensão das parcelas de amostragem
6.5 Preparação do protocolo de campo
6.6 Treino das equipas de campo
6.7 Planeamento do apoio logístico
6.8 Planeamento dos procedimentos de cálculo
7 Inventário Florestal Nacional Português

Métodos de ensino e avaliação

A UC segue o seguinte método de avaliação de conhecimentos:

1. A frequência na disciplina é obtida por:
• frequência de pelo menos 75% das aulas (controlado automaticamente pelo Zoom)
• média de 10 nos testes práticos TP1, TP2 e TP3 (TP1, TP2, TP3, TT ≥ 7.5)
• frequência do estágio de inventário florestal (E), com aproveitamento (a frequência do estágio está dependente das duas condições anteriores).

2. A avaliação de conhecimentos é obtida pela realização de 3 testes práticos e um teste teórico:
• TP1 – variáveis da árvore
• TP2 – variáveis do povoamento
• TP3 – processamento de dados de inventário florestal
• TT – teste teórico

Os testes serão individuais e realizados on-line. Qualquer indicio de cópia será reportado internamente no ISA e o aluno ficará sujeito a sanções disciplinares de acordo Regulamento disciplinar dos estudantes da Universidade de Lisboa
(https://www.ulisboa.pt/sites/ulisboa.pt/files/documents/files/codigo_de_conduta_e_de_boas_praticas_da_universidade_de_lisboa.pdf ).

O teste teórico poderá ser presencial caso a situação pandémica assim o permita.

Classificação final = 0.5 (TP1 + TP2 + TP3) / 3 + 0.5 (TT)

REGRAS:

a) Alunos com limitações para frequentar as aulas no horário estipulado deverão contactar o responsável da UC para discutir a questão e se procurar uma alternativa.
b) A nota mínima em cada teste prático terá de ser ≥ 7.5 valores
c) Existe a possibilidade de repetir um dos testes práticos, sendo nesse caso a cotação máxima reduzida para 18 valores (em data a agendar com o docente responsável pela matéria).
d) O teste teórico poderá ser realizado em cada uma das datas de exame.
e) Um aluno que falte a 20 aulas fica automaticamente impedido* de:
- frequentar o estágio (E)*
- realizar teste pratico, se o responsável da UC assim o decidir

* exceções: alunos com estatutos de dirigente associativo, trabalhador estudante (reconhecido pelo ISA), ou alunos que tenham ingressado demasiado tarde na UC.
f) Se os estágios não forem cancelados e as condições pandémicas o permitirem o estágio será realizado no campo, caso contrário o estágio será remoto à semelhança das aulas.

Disciplinas Execução

2021/2022 - 2º semestre

2020/2021 - 2º semestre

2019/2020 - 2 semestre

2018/2019 - 2 Semestre

2017/2018 - 2 Semestre

2016/2017 - 2 Semestre

2015/2016 - 2 Semestre

2014/2015 - 2 Semestre

2013/2014 - 2 Semestre